Cafelândia Destaques

Cafelândia homenageia hoje dia 9 de julho ex-combatentes de 1932

 

Comemoração tem ocorrido todos os anos
Comemoração tem ocorrido todos os anos

“É oportuno e de extrema Justiça reverenciar a memória destes heróis cafelandenses. Ícones de nossa história e exemplos na luta pela liberdade e democracia”, destaca o prefeito Luis Otávio Carvalho, ao comentar a cerimônia que será realizada mais uma vez neste sábado, 9 de julho, em homenagem aos ex-combatentes cafelandenses participantes da Revolução Constitucionalista de 1932.

O governo homenageia a data deste o início da atual gestão. Na foto, de 2013, o ex-vice-prefeito Carlos Colli Badini discursa ao lado do filho, Fábio Colli Badini e da secretária municipal de Cultura, Rita de Cássia da Silva Ramos Soares.

“Meu avô Antenor Bugano foi um deles. Já participo todos os anos e uma vez mais estarei presente. Fico feliz e sensibilizada com a homenagem”, diz a funcionária pública Daniela Passanezi.

O evento será realizado a partir das 9 horas, na Praça Gaspar Olher Parra (antiga Praça da Bandeira), na parte alta da cidade. Não existe mais nenhum ex-combatente vivo. Para as solenidades serão convidados parentes, autoridades civis e militares, lideranças comunitárias e a população em geral.

No centro da praça um obelisco traz os nomes de todos os homenageados: Almir Lopes Simões, Antenor Bugano, Argemiro Leite, Benedito Vilaverde, Benito Sanches Filho, Bento Borim, Ciro Maia de Carvalho, Dirceu Magalhães Gomes, Domingos S. do Amaral Farto, Eduardo Afonso de Carvalho, Eugenio Vidal, Feliciano de Andrade Nunes, Genésio Vasconcelos, Humberto Luswarghi, Irineu leite Pupo, Jarbas Prado, José Coli Badini, José Lemes Soares, José do A. Santos, José Nunes Guimarães, José Panichel, João de Souza Castro, João Gaudêncio, João Martins Pereira, Joaquim de Souza Burity, Leonel Pinto Pereira, Luciano Silvani, Moacir da Costa e Silva, Nicolau Ventura, Pedro Paulino de Carvalho, Pedro Ramos de Carvalho, Pericles Ferraz do Amaral, Sebastião O. de Souza Leite, Waldomiro R. de Carvalho, Zeuno Simões, Zirbo Simões e., Zoilo Simões

PITADA DE HISTÓRIA

A Revolução Constitucionalista foi um movimento deflagrado no Brasil entre julho e outubro de 1932, onde o Estado de São Paulo se levantou contra o Governo Provisório de Getúlio Vargas e partiu em defesa da instituição de um regime constitucional que garantisse a democracia, a lei e a ordem.

Foi a primeira grande revolta contra o governo de Getúlio Vargas e o último grande conflito armado ocorrido no Brasil. Os combates transcorreram durante 5 dias de combates – de 9 de julho a 2 de outubro de 1932 – com um saldo oficial de 934 mortos e não oficial de 2.200 mortos durante os conflitos. Atualmente, o Dia 9 de julho marca o início da Revolução de 1932 e é a data cívica mais importante do Estado de São Paulo.

Você pode gostar